Fotografo: Secom -MT
...
A economia, suficiente para abastecer 447 casas residenciais com consumo médio de 250 kilowatt/mês.

 
 
 
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) irá economizar 111 megawatts por ano com a adesão ao Programa de Eficiência Energética da Energisa. A economia, suficiente para abastecer 447 casas residenciais com consumo médio de 250 kilowatt mensais, será possível graças a troca das lâmpadas atuais pela de tecnologia LED e instalação de 60 placas de painéis solares que irão gerar energia para eletroposto, com capacidade para abastecer até dois carros movidos a energia elétrica por dia.
 
Para o secretário adjunto de Administração Sistêmica da Sema, Valdinei Valério, a ação visa a racionalidade no uso dos recursos naturais e promoção da inovação e diversificação dos modais de energia. “Ao longo dos anos, a Sema vem se empenhando para adequar o consumo de energia elétrica com diversas melhorais na infraestrutura para aumentar iluminação natural e conforto térmico, adequação de jornada de trabalho para os horários com maior incidência de luz e ações de conscientização entre os servidores para a importância do zelar pelos recursos públicos”, enumera Valério.
 
O Projeto é parte do programa de Energia Eficiente do Grupo Energisa, realizado de acordo com normas e regulamentos do Programa de Eficiência Energética – ANEEL. Na Sema, o projeto que iniciou as obras no mês de abril, serão instaladas de 2.680 lâmpadas de tecnologia LED, placas solares com capacidade de geração de 19,8 kWp para abastecimento de veículos movidos a eletricidade e a energia sobressalente será reaproveitada no sistema da Sema. O projeto prevê ainda a realização de ações de treinamento e capacitação.
 
A execução do projeto ficará sob a responsabilidade da Deode Inovação & Eficiência, empresa selecionada pela Energisa. A previsão é que a Secretaria terá ganhos com a redução dos custos com energia elétrica e manutenção nos serviços de iluminação e melhoria na qualidade de iluminação dos ambientes internos e externos.
 
“Esse projeto irá gerar uma economia no consumo de energia considerável com a substituição de 2.680 lâmpadas ineficientes, grande parte fluorescentes, o que aponta para um viés ecologicamente sustentável. Essas lâmpadas  contêm grandes concentrações de mercúrio, que é um metal altamente poluente. Então, além de benefícios de economia de energia, o projeto também se preocupa em cuidar do meio ambiente. A Energisa tem trabalhado muito a questão da sustentabilidade em seus projetos e naqueles que ela apoia”, pondera o gestor de projetos de eficiência energética, Alex Fabiano Souza Silva.