Fotografo: Daniel Meneguini
...
Compromisso firmado em reunião promovida pelo deputado Dilmar Dal Bosco com o governo vai asfaltar trecho

A pavimentação dos 40 quilômetros da rodovia MT-422, que liga as cidades de Santa Carmem a União do Sul, no norte de Mato Grosso, deve começar assim que terminar o período chuvoso. Na quinta-feira (28), o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) promoveu uma reunião do vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) com o prefeito de Santa Carmem, Rodrigo do Posto (PSD), e representantes da Associação dos Beneficiários da Rodovia João Adão Scheeren para definir o formato da parceria público-privada que será assinada com o governo do estado.
 
Pivetta garantiu que o governo estadual pode custear R$ 300 mil por quilômetro construído com valor oriundo do Fundo Estadual do Transporte e Habitação (Fethab). O restante deverá ser completado pela associação, que estima um custo variável entre R$ 8 milhões e R$ 10 milhões para ser dividido entre os produtores rurais que farão uso da benfeitoria.
 
“Agora vamos para o trabalho para nos organizarmos. Já estamos previamente organizados, mas precisamos fazer um convencimento de todos os produtores sobre a importância da rodovia. O Estado vai entrar com a contrapartida e o restante vai sobrar para nós. Vamos fazer um levantamento de todas as áreas que têm lá e ver o que cabe a cada um para fazermos uma divisão justa e num prazo de no máximo dois anos conseguimos fazer esta obra”, explicou o diretor-presidente da Associação, Agenor Pelissa.
 
De acordo com o prefeito de Santa Carmem, Rodrigo do Posto, agora faltam questões técnicas como assinatura do convênio e definição da instalação de uma praça de pedágio, o que possibilitará ao estado repassar a manutenção da rodovia para a associação. “Nós acreditamos que na próxima seca, até o meio do ano, nós possamos começar a obra e acredito que consigamos fazer de dez a 15 quilômetros de asfalto por ano”, previu.
 
O projeto executivo da obra está aprovado desde a metade do ano passado e ainda falta a aprovação do licenciamento ambiental junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o que já é trabalhado pelo deputado Dilmar Dal Bosco  para dar celeridade. Para o parlamentar, agora é necessária a adesão dos produtores rurais.
 
“Agora depende da aprovação do projeto, mas também do entendimento dos agricultores e da contrapartida deles. É mais uma obra com parceria da prefeitura, da associação e do governo do estado”, concluiu.