Fotografo: Secom-MT
...
Após oito anos fechado, o Frigorífico Juruena foi reaberto na cidade de mesmo nome, que fica a 896km de Cuiabá

Após oito anos fechado, o Frigorífico Juruena foi reaberto na cidade de mesmo nome, que fica a 896km de Cuiabá. A retomada das atividades, com a geração de 300 empregos diretos, foi comunicada ao governador Mauro Mendes, nesta manhã (26).
 
A informação foi trazida por Volnei Durli, um dos sócios da empresa, acompanhado do secretário de Indústria e Comércio, César Miranda, do chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e do secretário de Fazenda, Rogério Gallo.
 
“Reabrimos a planta. O frigorífico é mais uma alternativa para os pecuaristas da região”, destacou Durli.
 
O empresário também pontuou a necessidade de investimentos em infraestrutura na região, que possam garantir o escoamento da produção, principalmente via BR 174. Além da manutenção do trecho, para assegurar que o frete não inviabilize o empreendimento.
 
“Vamos buscar os órgãos competentes para dar a devida manutenção nessa estrada”, ressaltou o governador.
 
Mauro Mendes informou ao empresário que já deu início às tratativas com o Governo Federal para destravar as pendências relacionadas à obra de pavimentação da rodovia,  que é de competência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), por ser uma das prioridades para o Estado.
 
Inclusive, na semana passada, a rodovia foi um dos assuntos tratados em reuniões com os ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Tarcísio Gomes de Freitas, de Infraestrutura, em Brasília. 
 
Uma das pendências relacionada a essa obra é a realização do estudo de impacto ambiental, em razão do traçado da rodovia passar dentro de reserva indígena. O estudo será iniciado em março deste ano.
 
Investimentos
 
O grupo do frigorífico também tem mais uma planta em Mato Grosso, na cidade de Matupá, que também está na previsão para ser reaberto. Com 58 anos de existência, o grupo também tem investimentos na área de curtume no Estado, com uma unidade em Cuiabá.
 
A companhia também atua no Pará, Goiás, São Paulo, Tocantins e Rio Grande do Sul.