Fotografo: Divulgação
...
. Alunos da EE Manoel Marinheiro apresentaram a influência da cultura gaúcha no município.

 
 
 
A Escola Estadual do Campo Marechal Cândido Rondon, localizada no município de Tangará da Serra (a 239 quilômetros ao médio-norte de Cuiabá), encerrou o primeiro semestre letivo de 2019 realizando a 1ª Feira do Conhecimento – Mostra de Ciências e Tecnologia – que envolveu todos os alunos, profissionais da educação e comunidade escolar.
 
Segundo a coordenadora pedagógica, Marinalva Gomes, o objetivo do evento foi compartilhar as experiências com a comunidade escolar e tornar o estudante protagonista da sua própria aprendizagem de forma concreta e significativa.
 
A Coordenadora explica que, por estar inserida no campo, a proposta pedagógica da escola está colocada nesse contexto com intuito de trabalhar no conteúdo didático, algo referente ao cotidiano escolar dos estudantes.
 
“A partir dessa proposta, surgiu o Projeto Feira do Conhecimento para realização de atividades prática aliada à teoria”, acrescenta. Ao final de cada semestre, os professores trabalham um conteúdo voltado à vivência dos alunos que é apresentado posteriormente a comunidade em geral.
 
Os alunos desenvolveram oficinas com diversos temas, que vão desde a produção de ervas medicinais, sagu aromatizado, preparo de sabão líquido a base de borra de café, além de sementes e verduras.
 
Um dos destaques da feira foi a apresentação do questionário socioeconômico dos moradores do Assentamento Antônio Conselheiro, onde a escola está localizada. O questionário foi aplicado pelos alunos do 3º ano do ensino médio. “Os alunos apresentaram um gráfico com o perfil socioeconômico da comunidade escolar. O resultado foi muito bom, pois tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais da realizada da nossa comunidade”, destaca a coordenadora pedagógica.
 
EE Manoel Marinheiro
 
Outra Escola Estadual de Tangará, a Manoel Marinheiro, também terminou o semestre com a realização da Feira do Conhecimento. Intitulada “Mato Grosso em Foco”, o trabalho envolveu alunos, professores e comunidade escolar.
 
Os trabalhos, que começaram no primeiro bimestre, resultaram em sete oficinas e o Estado foi trabalhado em todas as disciplinas.
 
Os alunos apresentaram temas variados em seus trabalhos: Mato Grosso em cena, por Ariano Suassuna; A agricultura de Mato Grosso e o ecoturismo em Mato Grosso; A culinária mato-grossense; história de Mato Grosso e o uso de agrotóxicos nas lavouras de Mato Grosso.
 
“Uma das oficinas desenvolvidas é a influência da cultura gaúcha em Mato Grosso, que colonizaram a região norte do Estado. Os alunos mostraram a trajetória deles no estado, desde a sua chegada, até os dias de hoje”, explica a secretária escolar Jane Maria Lopes de Lima que é gaúcha. Na oficina, os alunos mostraram as comidas típicas gaúchas, o chimarrão, além das danças.